Browsing Category

Nosso Casamento

O nosso Pré Wedding – parte 1 – Marina e Yuri

Nosso Casamento, Tô noiva, e agora?

Tínhamos 2 anos pela frente pra sonhar o grande dia e planejar…de tantas coisas, algumas poucas tínhamos certeza. Uma delas era sobre nossas fotos: queríamos fotos lindas. Queríamos também fotos “diferentes”.
Nesse período, descobri uma coisa bem óbvia: era o que todos os casais pediam e queriam. Claro!

Por ser um item importante para nós dois, começamos a pesquisar.
Vários caminhos, principalmente o do encantamento, nos levaram à Dois Cliques Fotografia.

Conhecemos não só o trabalho deles, mas os profissionais por trás das lentes. Maraíse e Julio viraram amigos, um tempo depois de já termos a certeza de queríamos o olhar deles nesse momento.
Daí então, foi só saldo positivo nessa contratação.
Além das orientações sobre todos os aspectos, eles embarcaram no nosso sonho e sonharam junto.
Planejamos então 2 sessões de pré wedding:
1- mais tradicional, com aquela luz maravilhosa, para usarmos no site, save the date, convite virtual, etc.
2- um ensaio que contasse a nossa história, cheio de significado! Mas sobre esse eu conto depois.

Eles nos auxiliaram em tudo, desde a escolha do local, até a escolha do nosso traje.
E essa é uma dica importante a respeito da estética da foto: a roupa do casal.

ESPAÇO: Queríamos um cenário de montanha, com a possibilidade de um trechinho de estrada, que traduzisse bem Minas Gerais e o nosso namoro à distância.
Estávamos com um probleminha em BH, que quase todas as áreas verdes e parques montanhosos estavam com acesso restrito por causa da Febre Amarela. Fuê fuê fuê…
Rapidíssimo eles sugeriram a Linha de Trem do Belvedere, no horário de pôr do sol, e quando vimos algumas fotografias do local, amamos! Local: Check!

LOOK: Eu tenho uma queda grande por moda, e já estava imaginando tudo. Compartilhei com a Maraíse sobre querer algo em tons de nude, pra fazer um degradê com a cor da luz do sol se pondo, os matinhos secos mais altos, nosso tom de pele…imaginei tudo. MAS, a cena que vem na nossa mente não envolve toda a técnica e know how dos profissionais.
Maraíse na hora falou: – É isso mesmo Marina, só que ao contrário! kkkkkk
Com essa idéia ficaríamos apagados na foto, iríamos sumir no cenário, na luz…rapidíssimo ela nos orientou sobre algo mais claro.
Outra dica importante que ela nos deu foi sobre trajes que fossem mais neutros. Com poucas informações, sem estampa, sem muita ousadia de moda (apesar de eu ter escolhido um hot pant), e que nos sentíssemos confortáveis.
Look: Check!

O resultado não poderia ter sido melhor.
Nós amamos, babamos, e continuamos amando e babando a cada vez que revemos as fotos.
É muito bom poder contar com uma equipe de profissionais que embarca no seu sonho junto com você, e trabalha pra fazer além do que foi sonhado, né?

Pra vocês curtirem junto com a gente, um pouquinho das nossas fotos:

FOTOS: Dois Cliques Fotografia
BELEZA MARINA: D&P Araújo
TRAJE YURI: SR Estilo
TRAJE MARINA: Lala Loja
LOCAL: Linha de Ferro do Belvedere

E aí, gostaram?
Fiquem ligados que logo eu posto pra vocês a PARTE 2 do nosso Pré Wedding. ♥

A lenda do Tsuru

Dicas, Nosso Casamento, Tô noiva, e agora?

Você provavelmente já viu o origami de tsuru em algum lugar, né?
O tsuru é uma cegonha japonesa, e muito mais que uma dobradura fofinha, tem um significado muito bonito: o pássaro é o símbolo da saúde, da boa sorte, da felicidade, da longevidade e da fortuna.

É uma tradição oriental, mais especificamente japonesa, e muito utilizada em datas especiais justamente pelo que simboliza. Por essa razão costumamos ver muitas fotos de casamentos decorados com os tsurus, principalmente os casamentos onde algum dos noivos é oriental, ou de descendência.

A cultura oriental é cheia de simbologias, lendas, significados e ensinamentos.
Conta a lenda japonesa que o tsuru pode viver até mil anos e, por isso, se você fizer 1.000 tsurus mentalizando um desejo enquanto faz, o seu desejo se torna realidade. ♥

Como vocês bem sabem, o meu noivo é descendente de japoneses. Ele é neto de imigrantes (Sansei, mestiço e filho de um Nissei sem mistura de etnias). Por isso, além de acharmos os tsurus lindos, queremos levar a tradição da cultura da família para o nosso grande dia!

A nossa idéia é enfeitar toda a passarela da cerimônia com os tsurus aéreos. Para o nosso espaço, que é bem grande (BHZ Espaço), o cálculo é de 5mil dobraduras. Sendo aproximadamente 1mil cordinhas com 5 tsurus em cada uma. Se a tradição e simbologia são verdade e trazem sorte, não sabemos. Mas temos certeza que será um dia muito abençoado por Deus e por toda a energia das pessoas que estão envolvidas na tarefa da dobradura e que estarão com a gente no dia 23/06/2018! ♥

E olha só que legal: esse trabalho artesanal para o nosso casamento é a especialidade do noivo! Ele é quem está fazendo as dobraduras e ensinando as pessoas que desejam ajudar. Não é muito legal? 🙂

Os pássaros dão um charme muito especial na decoração…e além das cordinhas penduradas, é possível utilizar de várias outras formas a dobradura!
Para quem mais amar a idéia, lá no final do post tem o passo a passo ensinando a fazer!

A Lenda do Tsuru

“Certo dia, num tempo muito antigo, um pescador andando pela floresta, encontrou uma cegonha agonizando, quase à morte. Ele recolheu-a, tratou dela e salvou-lhe a vida. Em seguida soltou-a de novo para que fosse livre e seguisse seu caminho.

Depois de um tempo deste acontecimento, apareceu uma linda moça para falar com o pescador e ofereceu-lhe um presente muito belo: um tecido feito com pena de cegonha, tecido muito puro e raro. A própria moça disse tê-lo feito, fio a fio, para entregar ao pescador. Mas, assim que entregou-lhe o presente, a moça disse:

-Não poderei dar-lhe outro igual.
(e não explicou o porquê).

O pescador ganancioso, vendeu esse tecido por um preço bem alto, e de novo pediu à moça que fizesse outro tecido para ele. Ela, meio assustada e preocupada, não recusou-se, mas voltou a dizer-lhe amavelmente:
-Esse é o último, realmente não poderei fazer-lhe outro tecido.

O pescador recebeu o segundo tecido e notou que a moça estava muito abatida. Mas procedeu da mesma forma: o vendeu e pediu mais outro à moça, que resignadamente, atendeu-o, já bem abatida, enfatizando que não mais poderia fazer o tecido.

O pescador ficou desconfiado daquela moça, seu semblante cansado, seu trabalho era feito a noite…então resolveu segui-la. Espiou pela fresta da janela, e viu uma cegonha tirando suas últimas penas para tecer o tecido. Era a cegonha que ele havia salvo a vida um dia, e estava morrendo novamente. Quando o pescador aproximou-se a cegonha virou rapidamente a moça, mas já sem forças ela não conseguiu permanecer na forma humana, olhou docemente e cheia de gratidão para o pescador e caiu no chão, uma cegonha totalmente sem penas, ofertando o tecido feito de seu próprio corpo. Ela oferecera sua vida para agradecer aquele que um dia a salvara.

Porém, certo de que esse verdadeiro espírito de gratidão nunca poderia morrer, e também como forma de ser perdoado, o pescador passou a fazer a cegonha (tsuru) em origami e ofertar em todo Japão, desejando que as pessoas compreendessem e praticassem essa gratidão em suas vidas e, assim, tivessem vida longa e mil felicidades.

Pratique o seu significado no seu dia-a-dia e transmita-o às outras pessoas!”

Fonte imagens e lenda: internet.

A minha escolha do Espaço do Casamento | BHZ

Nosso Casamento, Tô noiva, e agora?

Bom, pra ser bem franca, essa escolha aconteceu há muito tempo. Pra ser mais exata, cerca de um mês após eu ter ficado noiva.

Voltei de viagem e comecei a busca por tentar entender o que era “casar”. Eu não fazia a menor idéia. Acho que já comentei isso com vocês né? Inclusive, foi dessa falta de idéia e de rumo que nasceu o “Tô noiva, e agora?”.

E, uma das minhas primeiras pesquisas foi: lugares para casar em Belo Horizonte / salão de festa em BH / espaço para eventos, e todas as variáveis que o Google bem conhece. rsrs
E sempre tinha um que chamava mais a minha atenção. Que brilhava entre todos os outros que apareciam nos resultados de busca:

Eu sempre tive algumas exigências em relação ao espaço. E isso foi um grande dificultador no processo de busca e definição do espaço. Contei pra vocês sobre o meu dilema, lembram?
Eu sou Designer de Interiores por formação, e a estrutura e estética, mesmo do espaço cru, tem muita importância pra mim. Por isso, eu buscava por um espaço que fosse bonito mesmo sem ter nada! Além disso, eu queria um espaço amplo e sem divisão de ambientes. Queria também que a cerimônia e a festa “coubessem” no mesmo espaço, mas em ambientes separados. Com muitos convidados de fora de BH, isso seria um facilitador para a logística!
Além disso, eu me lembro quando minha irmã se casou, há uns 6 ou 7 anos, que uma das coisas que ela mais priorizava no espaço era o pé direito alto (pé direito é a distância entre o piso e o teto, a altura do ambiente). O marido dela, meu cunhado, é bem alto e ela queria que ele e os amigos que também são bem altos, pudessem pular à vontade na pista! E desde então eu passei a observar mais e achar mais bonito o ambiente com o pé direito alto. Mais confortável também. E essa era mais uma exigência minha: pé direito altíssimo. Para uma noiva clássica como eu, isso também ajuda muito com os lustres da decoração, que eu amo! ♥

Bom, e aí, depois que eu comecei a entender o que eu gostava e o que eu não gostava nos espaços, eu comecei a visitá-los. O primeiro que eu conheci foi o BHZ Espaço, em um evento para noivas, O ENTRE NOIVAS, a convite da Raquel, uma noiva do BHZ que hoje é uma grande amiga!

Josi, Iaia, Eu e a Nani

Iaia, Eu, Raquel e Nani

Essa foi a minha primeira foto com a equipe do BHZ. Eu me lembro que cheguei e me encantei com a imponência do espaço. Era tudo maravilhoso, mesmo vazio. O “cru” era lindo. Como eu sonhava! A Nani, gerente do espaço, me levou pra conhecer toda a estrutura: tinha o pé direito alto, era amplo, tinha a área para separar a cerimônia da festa…E aí eu me apaixonei com tudo de vez, mas especialmente com o mictório do banheiro masculino (kkkkkk). A Nani lembra disso até hoje. Eu amei tanto que fiz um vídeo e enviei pro noivo:

E, além de amar tudo, toda a estrutura, toda a beleza do espaço, eu me encantei também por aquelas lindas da foto ali de cima! Elas nem me conheciam, e me trataram com tanto carinho, que eu apaixonei mesmo!
Além de tudo, o nome do espaço fazia referência à cidade, o que eu achava super legal por conta de ter muitos convidados de fora de Minas Gerais!

Bom, voltei pra casa super empolgada. Mostrei as fotos, os vídeos, o site que eu já babava antes de ir visitar o espaço, para minha mãe e para o noivo. E aí resolvemos então pedir o primeiro orçamento de todo o casamento.
Não tínhamos a menor noção de NADA. Nem mesmo tínhamos um cerimonial que nos orientasse. E foi aí que entendemos o que era casar: algo que podia estar bem fora na nossa realidade. Era óbvio que eu entendia que o espaço, maravilhoso daquele jeito, totalmente planejado de forma funcional tanto para os noivos e convidados, quanto para a equipe de fornecedores que trabalha para que tudo aconteça, tinha um VALOR e não um preço. Mas ainda não sabíamos o que seria esse montante do casamento todo. Assustamos, confesso. Mas estávamos ainda iniciando tudo. Passou um tempo, e comecei a visitar outros espaços. Até mesmo pra entender o que era esse “mercado” do casamento. Ter alguma noção, enfim.
Mas não tinha jeito!
Eu sempre comparava: não é bonito igual o BHZ, não tem o pé direito do BHZ, não tem a fachada do BHZ, não tem o mictório do BHZ (kkkk). Nenhum era tão bom quanto o BHZ Espaço! E eu fui me frustrando, vendo tudo se distanciar do que eu sonhava. Me peguei cogitando abrir mão de várias coisas que eram super importantes nessa escolha, e ficando com o “espaço que desse”…

Foi quando meu anjinho surgiu: Aurora Nardi!
Logo ela, que eu conheci também em um evento que aconteceu no BHZ Espaço, o PARA SEMPRE NOIVAS, agora era minha cerimonialista e assessora do casamento. Contei pra vocês como foi a minha escolha, lembram?

Eu, Maraíse (Dois Cliques) e a Aurora – As organizadoras do evento.

Também foi a Raquel que me apresentou a Aurora. A mesma que me levou ao BHZ pela primeira vez.
Aurora foi assessora da Raquel, e viabilizou um sonho de princesa pra ela, que aconteceu no castelo dos sonhos: O BHZ! rsrs

Em meio às buscas pelos espaços que eu cogitava, um já havia fechado a minha data, o outro pisou na bola comigo, e eu chorei! E eu lembro perfeitamente da conversa da Aurora comigo, enquanto eu chorava:
A: Marina, qual é o seu sonho?
M: O BHZ Aurora, mas sei que está longe das minhas possibilidades.
A: É o seu sonho o BHZ?
M: É o meu sonho!
A: Mê dê até amanhã!

E eu dei. Eu já não tinha muita opção a não ser esperar. Esperei. Ansiosa. E tive a melhor prova de que “o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã“.
Aurora me ligou no dia seguinte, dizendo exatamente assim: – Aqui a gente trabalha realizando sonhos, meu amor!
Era isso! Ela estava viabilizando e realizando o meu sonho de casar naquele espaço que eu entrei pela primeira vez e senti que era. QUE É!

As mulheres responsáveis pelo meu sonho possível: Rozane (minha mãe), Aurora (minha fada madrinha), Iaia e Nani (as responsáveis pelo BHZ).

Foi então que marcamos uma visita para negociarmos e Deus abriu as portas, abriu o mar, saiu escancarando tudo e mostrando que o controle é todo dEle. Ele conhecia o meu sonho, antes mesmo de eu sonhar.
O BHZ cabia na minha realidade, eu só não sabia disso porque eu ainda não tinha a Aurora na minha vida! Ela negociou, ela sabia o que eu podia, e o que o BHZ também podia.
Lembro do Yuri – o noivo – me ligando com a voz meio engasgada e dizendo: – Você se lembra que era lá que você queria desde o início?
Só a gente sabia a luta que estava sendo a busca pelo espaço. A gente mal sabia que no final seria o primeiro de todos! O grande culpado por nenhum outro me encantar! rsrs
Eu achava que era balela quando me falavam que a gente sente. Mas só depois que a gente fecha é que a gente entende: A GENTE SENTE! ♥


E lá estávamos nós: assinando o contrato logo em um dia 23! Era um dia iluminado! Tão iluminado que a Nani nem conseguia abrir seus olhinhos azuis sob o sol lindo do dia 23/08/2017. Era aniversário de casamento da Iaia, dia de save the date e contagem regressiva pra gente…o 23 é tão especial, marca tanta coisa importante na nossa vida, que com o BHZ não tinha como ser outro dia! E foi sem querer, assim…coisa dos detalhes de Deus!
Por isso eu falo gente: contratar o cerimonial é ESSENCIAL pro seu casamento ser como você sonhou, independente do seu orçamento! É possível SIM! E cabe tantaaaaaa gratidão nessa foto aí de cima, que vocês nem imaginam!

E foi assim que, finalmente, escolhemos o nosso Espaço do Casamento! Ou melhor…o espaço dos nossos sonhos!
E esse foi só um dos sonhos realizados, dentro do nosso grande sonho: o casamento!

 

Veja mais fotos do espaço e dos eventos no BHZ no site: www.bhzespaco.com.br

 

♥ – ♥ – ♥ – ♥

OBS: Eu li e reli toda essa história chorando mais uma vez. Mas dessa vez, de felicidade! 🙂

Como escolhi minha Assessoria de Casamento

Nosso Casamento, Tô noiva, e agora?

Tudo aconteceu depois de mais de um ano que fiquei noiva.
A escolha, graças a Deus foi fácil e muito assertiva. Mas demorou um pouco, e vou contar pra vocês o porquê!

O pedido aconteceu no dia do meu aniversário, 23/02/2016. ♥
Desde então eu pensava: por onde eu começo?
Uma certeza eu tinha: eu não sabia nada sobre esse novo mundo, e não queria colocar o meu sonho em risco, com as minhas próprias mãos, baseando em pesquisas de internet. Eu precisava contratar um cerimonial!
Foi então que comecei a procurar. Enviei e-mail para algumas empresas pedindo orçamento e recebi dos mais diversos tipos de resposta. Fiquei mais perdida ainda!

Nasceu o “Tô noiva, e agora?” enquanto eu buscava rumo para organizar o casamento!

Foi aí que recebi a indicação de uma pessoa da família. Agendei uma visita. Gostei muito, e decidi que pela indicação, eu não olharia mais nenhum outro, ia fechar! Marquei reunião com minha mãe e meu noivo para conhecerem a assessora e o seu serviço, de forma que eles se familiarizassem com o assunto “casamento” junto comigo. Foi uma reunião um pouco cansativa, de muita conversa, e no final o choque: tivemos a noção do que se trata “bancar um casamento dos sonhos”. Era uma fortuna!
E aí comecei a escutar o que eu não queria: – Corta a lista! – Corta isso! – Corta aquilo! E veio a preocupação!

Fomos pra casa, e já sabíamos que fecharíamos aquele contrato. Mas não fechamos.
Passou mais de um ano sem o serviço de cerimonial, e o pensamento “Será que vai dar pra fazer a festa?” rodeava meus pensamentos. Pensei em cancelar algumas vezes, mas faltava coragem!
Tirei algumas dúvidas com aquela assessora que eu havia reunido, de forma que eu tivesse um pouco mais de luz sobre possibilidades e valores. Nada andava…

Foi quando, entre junho e julho de 2017, uma cerimonialista muito querida, que eu havia conhecido em um evento para noivas em maio/2016, me procurou. Ela já havia feito o casamento de uma amiga, e era ela quem estava realizando aquele evento onde eu a conheci.

Eu, com a Maraíse (Dois Cliques) e a Aurora (Aurora Nardi Cerimonial) – Evento Pra Falar de Casamento – Quando conheci a Aurora

E o que ela me disse, quando me procurou 1 ano depois, me encantou: quero fazer o seu casamento! Mas não tinha aquele teor “comercial” que muitos fornecedores tem ao abordar noivas. Tinha um carinho especial ali.

Eu já estava há menos de um ano do meu casamento e entendi que era hora de bater o martelo neste serviço. Agendei a reunião com ela para conhecer a proposta, e pronto! Apaixonamos. Eu e o Yuri, meu noivo, finalmente entendemos o que era a segurança que um cerimonial dava! Cancelamos com a outra empresa que já havíamos conversado, e então finalmente contratamos o nosso cerimonial.

Mas Marina, você contou isso tudo e não contou como escolheu!
Bom, como eu disse, demorou. Mas valeu muito à pena.

Aurora em ação!

A conversa com a Aurora Nardi foi incrível! Ela nos passou muita segurança e demonstrou muita experiência em relação ao trabalho dela. Além disso, em momento nenhum ela podou algo que sonhávamos. Foi uma reunião em que ela mais nos escutou do que falou. Contamos sobre nossa história, sobre o nosso pedido de casamento, sobre o nosso sonho de casamento. E o que ela falou foi “aqui a gente realiza sonhos!”. Eu já sabia disso, pela amiga que casou com ela. E ali, eu acreditei! Fechamos!
Escolhemos o serviço de Assessoria Completa.

O que eu levei em conta?
– Indicação – pra mim, a assessoria é fundamental. Mas há muita gente aproveitadora no mercado. A indicação, por isso, tem um peso enorme!
– Experiência – a segurança que ela nos passou demonstrava o quanto ela dominava o que fazia!
– Reputação – antes de ir à reunião com ela, fiz uma pesquisa e descobri que muitos fornecedores de casamento haviam casado com ela. Pra mim isso fez muita diferença! Profissionais que conhecem todo o mercado escolherem ELA para executar o grande dia tinha um peso enorme. Eu estava no caminho certo.
– Identificação – a assessora é uma pessoa que vai te acompanhar por meses! É imprescindível que haja uma identificação para que a convivência seja uma ótima experiência. Na reunião parecia que nos conhecíamos ha anos!
– Sinceridade – ela foi muito sincera em relação a pontos importantes, a dificuldades que encontraríamos, e isso contou pra gente sentir que ela colocaria nossos pés no chão.
– Carinho – eu senti que ela tratou nosso sonho com carinho. Ela queria realizar e faria o possível pra isso!
– Preços e condições – por último levamos em conta o valor e as condições. Entendemos, o valor agregado ao serviço dela, antes de qualquer coisa.

Eu, Aurora (minha fada madrinha), Rozane (minha mãe), Iaia e Nani (BHZ)

Em menos de uma semana, as coisas começaram a andar. Ela já havia ligado para os lugares que eu cogitava e descobriu que eles não tinham mais minha data. Foi aí que voltamos ao meu dilema com o espaço.
Ela não perdeu tempo, não me deixou desanimar. Driblou alguns contratempos, mexeu os pauzinhos e…2 meses depois de assinarmos o contrato com ela, assinamos o contrato com o nosso espaço! E não foi só isso. Era o espaço dos nossos sonhos! O que pra gente parecia muito distante, ela fez acontecer!
Foi aí que eu tive certeza que, quando ela disse que “aqui a gente realiza sonhos!” ela não estava brincando!

E agora sigo, me sentindo cada dia mais perto de realizar cada detalhe sonhado, nas mãos da minha fada madrinha: Aurora Nardi!

O nosso pedido de casamento – Marina e Yuri

Nosso Casamento, Tô noiva, e agora?

Já tínhamos 4 anos e 8 meses de namoro, quando no Natal de 2015 o Yuri me presenteou com uma viagem para a semana do meu aniversário, que estava ha exatos 2 meses dali.
Era uma viagem surpresa: eu não sabia o destino. A única dica era “praia”, pra eu poder arrumar a minha mala.

Quando postei nas minhas redes sociais o presente de Natal, várias amigas começaram suas apostas no pedido de casamento. Mas eu tinha certeza que não. A gente ainda planejava isso pra mais de um ano pra frente e, vindo do Yuri, essas surpresas românticas faziam parte! Não era a primeira viagem surpresa que ele me dava e, se nas outras não teve pedido, nessa também não teria. Eu estava tranquila.

Fevereiro chegou, e estávamos empolgados pela viagem. Eu estava curiosa pra descobrir o destino!
Eu tinha algumas pistas, e alguns palpites:
– meu passaporte estava seguro na minha casa, e ele não havia me pedido. Era no Brasil.
– ele já havia me dito que era praia e, dessa vez, diferente das outras viagens que sempre fazíamos de carro, estávamos indo de avião. Chutei o nordeste, que era muito longe pra ir de carro. Além disso eu odeio água fria, e chutei que ele tinha pensado nisso pra me levar pro mar quentinho do nordeste no meu aniversário! (kkkkk)
– saímos um dia com uns amigos do Guarujá-SP, cidade onde o Yuri nasceu e mora, e um deles comentou que em fevereiro ia viajar para Maragogi e Porto de Galinhas. Passou um tempo, e o Yuri estava num cantinho conversando escondido com ele. Desconfiei. rs
– Meus palpites eram: Porto de Galinhas, Fernando de Noronha e Ilhéus. Estava quente!

Foi no aeroporto que eu descobri que estávamos indo pra Recife. Batata, era Porto de Galinhas!
Amei descobrir, mas daí eu lembrei que as piscinas naturais eram recheadas de peixinhos. Eu morro de medo de peixe! kkkkkk
As amigas continuavam apostando no pedido. Eu comecei a pensar: “Será? Não, elas estão viajando!”.

Meu aniversário chegou, e lá estávamos: aproveitando 24h por dia as maravilhas daquele lugar, bronzeados, felizes, e com o amigo que contou no nosso encontro que iria para Maragogi com a namorada!
Visitamos uma das praias mais bonitas nesse dia: Praia de Carneiros. Lá tem uma igrejinha linda que não visitamos. Foi quando eu tive certeza que não tinha nada de pedido e desencanei mais ainda! Se tivesse algo, ele teria aproveitado a igreja…Almoçamos em um lugar delicioso, com pé na areia, com direito a brinde e parabéns!

Quando voltamos pro hotel, Yuri mandou eu me arrumar. Eu fiz ele me prometer que não me faria passar vergonha. Estava morrendo de medo daqueles “parabéns” em público, com pessoas desconhecidas cantando e olhando pra mim. Eu não gosto de fazer aniversário! Ele mandou eu confiar nele, e confiei.

Fomos para a praia de acesso do hotel, com direito a um por do sol lindo.
Ele estava meio tenso e eu comecei a dar risada! Ele me disse palavras lindas, e no final, ajoelhou e tcharãaaa!
Escutei um “quer casar comigo” e nem acreditava! Foi lindo, romântico, descontraído, e bem a nossa cara.
É claro que eu disse sim. E foi ali que começou a nossa caminhada até o altar! ♥

O grande dilema: a escolha do LOCAL

Dicas, Nosso Casamento, Tô noiva, e agora?


Você já sabe que, depois do cerimonial, a primeira coisa a definir na organização do casamento é o espaço? Só a partir desta escolha você conseguirá os demais orçamentos e contratações (buffet, decoração, músicos, etc).
Mas, e quando você não encontra nada que se encaixa no que você sempre sonhou e no que você pode pagar?
Este está sendo o meu grande dilema!
Já são 1 ano e 2 meses de busca pelo “espaço ideal” e, muitas vezes, já me vi pensando em abrir mão de algum detalhe que interfere na escolha, por não encontrar nada que comporte o meu sonho e caiba no meu bolso.


Mas…por quê?
O mercado está saturado de fornecedores para noivas. Cada dia um novo espaço, um novo nome, e os casamentos acontecendo sem parar. Não deveria ter opções para tudo e todos? Deveria. Mas parece que virou um mercado de alta lucratividade, e o foco parece ser outro!
Os espaço mais bonitos, com boa estrutura, são caros e muitas vezes não oferecem nada além do espaço: um galpão enorme e vazio que vale um carro.
Os que encontramos com preços mais acessíveis (veja bem, eu não disse barato; quando se trata de casamento, nada é barato, né?), ou que oferecem algo além do espaço, como estrutura de boate ou mobiliário, por exemplo, ou estão mal cuidados ou não possuem aqueles detalhes que a gente sonha, como um pé direito alto, uma área que permita a realização da cerimônia independente do espaço da festa, que tenha fácil acesso, versatilidade, possibilidade de estilos, entre outras coisas…

O meu recado hoje é para as minhas noivinhas que estão vivendo o mesmo dilema: não abram mão das suas exigências. Não só pelo que sonham no espaço, mas pelo que podem pagar também.
A nossa exigência é que dita o rumo do NOSSO mercado!
Exijam qualidade, bom atendimento, espaço bem cuidado e preço justo.
Afinal, estamos tratando de um sonho que foi sonhado por toda uma vida, por toda uma família, não é mesmo?
♥-♥-♥

Agora me contem: qual tem sido o dilema para a escolha do espaço de vocês?